Destaque

Sebrae

Ages

3 de junho de 2017

Escritor Renilton Silva, de Miguel Calmon para o mundo

Com dois livros lançados e grandes histórias para contar

O Rota 324 teve o prazer de conhecer o calmonense Renilton Silva, professor e escritor, com duas obras escritas. Este último, "O banco da praça está vazio" foi lançado em sua terra natal no dia 19 de maio, e retrata os tempos de outrora, quando as famílias ainda sentavam nos bancos dos largos para contação de histórias e brincadeiras interativas.

Morando há cerca de 11 anos em Feira de Santana, o escritor não deixa de lado suas raízes e, sempre que pode, está nos meios de conversas de sua cidade. E o livro atual traz como cenário a terra em que passou maior parte de sua vida.

"A ideia do livro surgiu da necessidade de resgatarmos um pouco da identidade que as pessoas estão perdendo, devido as novas tecnologias: o saudosismo, as coisas bem mais simples de cidades interioranas. O plano de fundo é a cidade de Miguel Calmon na região de Jacobina, descrevendo as tradições populares e a forma como isso vai se diluindo com o passar do tempo. O 'banco da Praça Está Vazio' é apenas uma metáfora sobre muitas questões que vão se perdendo, na tentativa de que, ao ler, o cidadão consiga resgatar um pouco dessa identidade. No livro eu trago uma mistura da línguagem atual com as tradicionais, para que eles sintam o interesse pela leitura e consigam fazer essa ponte e essa contextualização, valorizando o atual, mas sem desprezar o antigo" contou.

Renilton esteve nessa sexta-feira, 2, na Escola Municipal Leolino Ferreira da Silva, no Distrito do Junco, em Jacobina, onde, num projeto sobre a importância da leitura, pode mostrar para as crianças o quanto pode ser atrativa a vida quando usufruímos de brincadeiras simples, em grupos, nas nossas praças. Na oportunidade, o prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, presenteou a unidade escolar com 26 livros, para que os professores pudessem contar para os alunos as mais variadas histórias que traz o livro "O banco da praça está vazio".

Igor Fagner - Rota 324




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.