Destaque

28 de março de 2017

Neymar volta a ser capitão e se diz mais maduro na Seleção: "Melhor em tudo"

Escolhido por Tite, atacante quebra o silêncio, diz que vive um dos melhores momentos da carreira e admite ter prejudicado a equipe por discussões e excesso de cartões recebidos.


Melhor em tudo". Assim, Neymar definiu seu momento para voltar a ser capitão da seleção brasileira sete meses depois de abrir mão da faixa. Escolhido por Tite, ele usará a braçadeira na partida desta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), contra o Paraguai, na Arena Corinthians.

– A gente ouve muitos conselhos, mas só aprende de verdade quando se machuca ou faz coisa errada. Já discuti quando não era necessário, tomei cartões amarelo e vermelho, me prejudiquei, prejudiquei meus companheiros. Mas vamos ficando cada vez mais maduros. Hoje, só penso em jogar futebol. Estou melhor no aspecto tudo (risos) – afirmou o jogador, ao lado de Tite, momentos antes de afirmar que vive um dos melhores momentos da sua carreira.

Neymar será o sexto capitão do Brasil nas eliminatórias, depois de Miranda, Daniel Alves, Renato Augusto, Filipe Luís e Fernandinho. Ele explicou que esse rodízio e a admiração por Tite o levaram a mudar de ideia e voltar a usar a faixa, após dizer que não gostaria mais de exercer essa função.

– Foi uma decisão (deixar de ser capitão) por tudo o que aconteceu, por tudo o que falaram. Senti que não era o momento de exercer essa posição. No decorrer do trabalho com o Tite, além do grupo maravilhoso, é por ele que vale qualquer esforço. É um cara que eu admirava de longe e passei a admirar ainda mais. Ele me escolhendo fico muito feliz e faço por ele – explicou.




NOVAMENTE CAPITÃO
Há um tempo atrás, Tite já tinha conversado comigo, e me fez pensar. Meu modo de agir, de trabalhar e de viver na seleção. O rodízio que o professor faz não me deixa ser o melhor nisso ou naquilo. O capitão usa a braçadeira, representa a seleção, mas dá para ser sem ela também, dar uma dura na marcação. É o modo de agir, de pensar, melhorar as coisas. Venho melhorando em tudo. Já me estressei muito por levar pancadas. Estou melhorando.

FIM DA NEYMARDEPENDÊNCIA
Sempre falei que nunca existiu Neymardependência, estamos falando da seleção brasileira. Nossa equipe na minha opinião, se estiver focada, é a melhor. Sabemos disso, temos humildade de reconhecer os adversários, temos de jogar. Às vezes, não encaixava uma peça ou outra, o professor chegou e nos ajustou, passamos a jogar futebol. Não mudou tantos jogadores, só o jeito de jogar. Todos aparecem.

SILÊNCIO
Preferi não falar porque tudo o que eu falava levavam para o lado negativo, machucava a mim, minha família, os companheiros. Achei melhor deixar baixar a poeira e só jogar futebol. A gente vem aqui para jogar futebol. Quando a gente fala, uma coisa ou outra pode ir para o lado errado, soa para o lado negativo, e isso me deixa triste. Além de ídolos que somos, somos seres humanos. Tem o lado que a gente fica triste. Mas já baixou a poeira, estou aqui falando de novo (risos).

TITE
Nos ajudou em todos os aspectos. Treinamos todo dia para chegar na hora do jogo e fazer o nosso melhor. A gente fica muito contente e feliz das coisas estarem dando certo, de o Tite ter encaixado bem a Seleção. Temos que seguir assim, com os pés no chão. Todo mundo precisa de um tempo para baixar a poeira. Tive o meu momento de ficar mais quieto também.

NOVA SELEÇÃO
A mudança foi grande. Passamos a ter confiança para buscar a nossa identidade e conseguimos. A Seleção, não importa o ano, onde for, sempre será uma das principais. Sabemos o peso de carregar essa camisa. Temos que trabalhar, não adianta só falar. A camisa não joga sozinha. Estamos felizes, treinando, jogando bem. Esperamos mais uma ótima apresentação.

BUSCA PELO TÍTULO DE MELHOR DO MUNDO
Não me sinto confortável em falar, nem gosto. São dois craques mantendo um nível gigantesco. Admiro ambos. Um deles está ao meu lado todos os dias, o melhor que já joguei. Não sei se é o momento (de ser o melhor do mundo), só quero ser melhor do que eu. Só quero sempre me superar.

PASSAGEM DE BASTÃO NO BARCELONA
Messi é um cara que me ajudou muito. Tive muita dificuldade no começo. O melhor do mundo chega e fala ''calma, as coisas vão se encaixar, joga o seu jogo''. Me fez bem isso. Sempre tem o receio de falar com seu ídolo. Isso me ajudou a relaxar. Temos uma relação maravilhosa, somos amigos. Isso ajuda em campo. O Suárez também, nos damos muito bem. Um ajuda o outro sempre. Fico feliz pelo momento que estou vivendo. É o melhor da minha carreira, fisicamente. Não falo de números. Estou falando de futebol. Espero manter essas boas atuações para ajudar meus companheiros.

SELEÇÃO CHAMOU A ATENÇÃO DO MESSI?
Não só do Messi, mas a Seleção vem chamando a atenção de muita gente. Voltou a jogar futebol, marca bem, sai jogando. É difícil conseguir vencer a nossa equipe.

Por Alexandre Lozetti, Edgard Maciel de Sá, Marcelo Braga e Tossiro Neto, São Paulo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.