Destaque

2 de março de 2017

Falta de higiene e baixa imunidade podem provocar infecção urinária

A infecção urinária é muito frequente na população, principalmente nas mulheres, após a puberdade.


O Bem Estar desta semana fala sobre a infecção urinária e explica que ela também acomete as crianças e é mais frequente no verão. O ginecologista e consultor do programa Dr. José Bento explica porque a gente deve evitar ficar com as roupas molhadas e o urologista Marco Arap conta porque segurar o xixi aumenta a chance de infecção.

Saiba mais

A infecção urinária é muito frequente na população, principalmente nas mulheres, após a puberdade. Como qualquer infecção está ligada à má higiene e baixa imunidade, mas podem existir outras causas como relação sexual desprotegida ou não urinar após a relação, uso de roupas úmidas por muito tempo, anatomia, pós-operatório ou segurar muito o xixi.

Por que é mais comum nas mulheres? – O primeiro motivo é o tamanho da uretra masculina e feminina, enquanto a das mulheres é de 3 cm, a dos homens possuem 6 ou 7 cm, em média, ou seja, o acesso das mulheres é mais fácil e rápido para as bactérias. O segundo motivo é que as mulheres urinam com menos frequência, pois nem todo lugar é acessível. Isso faz com que a uretra seja lavada menos vezes e as bactérias tem tempo para "escalar" a uretra. Quando o xixi passa, ele "lava" aquela região. Outro motivo é que a próstata dos homens produz uma substância que os protege contra infecções e por último, algumas mulheres têm o hábito de se limpar no sentido errado (do ânus para a vagina), o que leva as bactérias para a região. A forma correta é o sentido vagina-ânus.

Tipos e Sintomas – A infecção urinária pode ocorrer na uretra, na bexiga ou no rim. Dependendo da região, os sintomas e a gravidade são diferentes. Quando ocorre na uretra e na bexiga, os sintomas são os mesmos: aumento na frequência e urgência para urinar, mesmo sem sair muito xixi, e ardência.

Se a infecção for no rim, o quadro é mais grave e os sintomas são febre, dor nas costas, fraqueza, vômito, alterações no hábito intestinal e perda de apetite. Em casos extremos, a pessoa pode entrar em coma e até morrer. Em todos os casos pode haver mudança na coloração da urina, além da eliminação de sangue e resíduos.

Tratamento – O tratamento para infecção urinária é sempre com antibiótico. Quando há tempo, o correto é fazer um exame de urina para descobrir o tipo de bactériae, então, usar o medicamento certinho. Porém, na maioria das vezes os pacientes estão sofrendo muito com os sintomas e não há tempo para isso. Quando a infecção for recorrente é importante fazer a investigação para descobrir a causa.

Prevenção – Urinar sempre que tiver vontade, tomar bastante água, fazer xixi depois da relação sexual e limpeza no sentido correto, não trazer o papel higiênico do ânus para a vagina.

Gestante – É muito comum as gestantes terem infecção urinária e a diferença é que boa parte delas não tem sintomas, por isso é importante o exame de urina no pré-natal. Se não tratada, a infecção pode evoluir, ir para o rim e comprometer as funções do órgão levando ao nascimento prematuro do bebê e até abortamento. Tomar bastante água e não segurar o xixi são as principais dicas de prevenção.

Por G1, São Paulo
Foto: Melhor com saúde 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.