Destaque

27 de março de 2017

Cidades pelo país têm manifestações a favor da Lava Jato neste domingo

Protestos foram convocados pelas redes sociais.


Cidades em pelo menos 19 estados e no Distrito Federal registraram manifestações neste domingo (26) a favor da operação Lava Jato, entre outros temas, durante atos convocado pelas redes sociais.

O G1 acompanhou os protestos em pelo menos 63 cidades, que somaram cerca de 55 mil pessoas nas ruas, segundo os organizadores, até as 19h. A Polícia Militar (PM) estimou cerca de 20 mil no total.

Algumas capitais como São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte, não tiveram contagem de público, nem por parte dos organizadores, nem pela PM.

Veja abaixo como foram os atos em cada estado:


Acre

Com gritos de "A nossa bandeira jamais será vermelha", manifestantes se reuniram em frente a Assembleia Legislativa, em Rio Branco. A organização afirmou que ao menos 50 participaram do protesto. A PM não acompanhou o ato.

O grupo também protestou contra o aumento da tarifa de ônibus em Rio Branco, que saiu de R$ 3 para R$ 3,50, contra o aumento do IPTU e cobrou o fim das obras no Hospital de Urgência e Emergência (Huerb) na capital, que já duram quase 7 anos.


Alagoas

Com faixas, cartazes e bandeiras em verde e amarelo um grupo de aproximadamente 30 pessoas realizaram um protesto na praça Sete Coqueiros, na orla da Ponta Verde.

Amazonas

Um grupo realizou protesto na Praça do Congresso, no Centro de Manaus. Segundo a Polícia Militar, cerca de 40 pessoas participaram do ato. Já os participantes do protesto afirmaram que 80 manifestantes estavam reunidos no local.


Bahia

Um grupo de manifestantes se reuniu na orla da Barra, em Salvador. Segundo estimativa dos organizadores, 1.500 pessoas participam da mobilização. A PM informou que não vai divulgar estimativa.


Ceará

Na Praça Portugal, a cerca de 1,5 km da orla de Fortaleza, um grupo protestou em apoio à operação Lava Jato e contra o foro privilegiado. O Movimento Direita Ceará, organizador do ato, estima que 700 pessoam participam; a Polícia Militar não divulgou estimativa de público.


Distrito Federal

A manifestação em Brasília começou por volta das 10h e alterou o trânsito no Eixo Monumental. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF, o público estimado às 11h30 era de 500 pessoas. Os organizadores não deram estimativa de participantes até a última atualização desta reportagem.


Espírito Santo

Manifestantes se concentraram em Vitória e Vila Velha, em apoio à Operação Lava Jato. Os dois grupos se encontraria na Praça do Papa, na capital, mas a Polícia Militar impediu a travessia da Terceira Ponte.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (Sesp), em um posto de combustíveis de Vila Velha estavam cerca de 150 pessoas, por isso não foi permitido que o protesto passasse pela ponte. A organização contestou, dizendo que havia cerca de 1.200 manifestantes.


Goiás

Em Goiânia, foram cerca de 2 mil manifestantes, segundo os organizadores. Já o tenente-coronel Danilo Braga, da Polícia Militar, estimou 1.000. O ato mirou uma defesa da Operação Lava Jato e foi contra a reforma da Previdência, mas o fim do foro privilegiado e a proposta de eleições em lista fechada também foram citados.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem contra o governo de Michel Temer, em defesa do juiz Sérgio Moro, e portaram cartazes que pedem o fim da corrupção.


Mato Grosso do Sul

O ato em Campo Grande começou por volta das 9h15, no horário local, no Obelisco. Segundo os organizadores, o ato começou com cerca de 80 pessoas, mas chegou a 400 participantes. A Polícia Militar também estima público de cerca de 400 pessoas.


Maranhão

Em São Luís, cerca de 30 pessoas fizeram um ato de apoio às investigações da Lava Jato. Eles lavaram a escadaria da Assembleia Legislativa e disseram que a chuva reduziu o número de participantes.


Minas Gerais

Em Belo Horizonte, o protesto ocorre na Praça da Liberdade. A organização preferiu não divulgar o número de pessoas que participaram da manifestação. A Polícia Militar também não fez a contagem. Em Uberlândia, a Polícia Militar informou que cerca de 800 pessoas participam do ato.

No Triângulo Mineiro, um ato contra a corrupção foi realizado em Uberaba na Praça Manoel Terra. A organização estima que 100 pessoas participam da manifestação. A Polícia Militar não divulgou estimativa, mas acompanha a manifestação. Em Uberlândia, as pessoas se concentraram na Praça Tubal Vilela.

Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a Polícia Militar e a Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) acompanham o estimam que 200 pessoas tenham participado do protesto. A organização esperava cerca de 8 mil pessoas. Em Governador Valadares, o protesto teve 100 participantes segundo os organizadores e 70 segundo a PM.

Em Pouso Alegre e Varginha, no Sul de Minas, também houve protestos. Segundo estimativa dos organizadores, as duas cidades reuniram cerca de 400 pessoas. A Polícia Militar não divulgou estimativa.


Pará

Manifestantes realizaram uma passeata em Belém. De acordo com a organização, cerca de 300 pessoas participaram do ato. A Polícia Militar não informou a estimativa.


Paraná

Milhares de pessoas foram às ruas de Curitiba para uma manifestação a favor da Operação Lava Jato. De acordo com a Polícia Militar (PM), 4 mil pessoas participaram do protesto; já conforme os organizadores do ato, houve 10 mil participantes.

A concentração ocorreu na Praça Santos Andrade, no Centro, por volta das 14h. De lá, o grupo fez passeata até a Boca Maldita. Durante o ato, o grupo também protestou contra a corrupção, a favor da renovação política e pelo fim do foro privilegiado.

Na região sul do estado, houve protesto em União da Vitória. Em Maringá, no norte do estado, a concentração ocorreu na Praça da Catedral. De lá, cerca de 1,5 mil pessoas saíram em caminhada pelas ruas centrais. A PM não contabilizou o número de participantes. Em Cascavel, cerca de 10 pessoas participaram do ato em frente à Catedral, durante a manhã.


Pernambuco

Os participantes fizeram uma caminhada, pela Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. De acordo com estimativa do próprio movimento, a passeata reuniu cerca de 5.500 pessoas. A Polícia Militar (PM) acompanhou o ato, mas sua assessoria de comunicação não divulgou estimativa do número de participantes.

Debaixo de sol forte, manifestantes se reuniram na orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio, para apoiar a operação Lava Jato, as reformas previdenciária e trabalhista e protestar contra a corrupção.

A PM informou que não irá divulgar estimativa do número de participantes. De acordo com uma representante do Movimento Vem pra Rua, o público é de 2 mil pessoas.

No Sul do estado também houve manifestações. Em Barra Mansa, de acordo com os organizadores, 250 pessoas participaram do ato. A Guarda Municipal disse que a estimativa é que 200 pessoas estiveram na manifestação. Em Barra do Piraí, a organização disse que 200 pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar, que acompanhou o protesto, não divulgou o número de participantes. Já em Volta Redonda, havia 2 mil pessoas segundo os organizadores e 700 segundo a Guarda Municipal.


Rio de Janeiro

Debaixo de sol forte, manifestantes se reuniram na orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio, para apoiar a operação Lava Jato, as reformas previdenciária e trabalhista e protestar contra a corrupção.

A PM informou que não irá divulgar estimativa do número de participantes. De acordo com uma representante do Movimento Vem pra Rua, o público é de 2 mil pessoas.

No Sul do estado também houve manifestações. Em Barra Mansa, de acordo com os organizadores, 250 pessoas participaram do ato. A Guarda Municipal disse que a estimativa é que 200 pessoas estiveram na manifestação. Em Barra do Piraí, a organização disse que 200 pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar, que acompanhou o protesto, não divulgou o número de participantes. Já em Volta Redonda, havia 2 mil pessoas segundo os organizadores e 700 segundo a Guarda Municipal.


Santa Catarina

Cerca de 150 pessoas, segundo a Polícia Militar, participaram de um protesto em Lages, na Serra catarinense. Por volta das 15h, começou a concentração de manifestantes em frente à prefeitura em Blumenau, no Vale do Itajaí.

Em Florianópolis, a concentração foi no trapiche da Avenida Beira-mar Norte, no Centro, com cerca de 2 mil pessoas, segundo a PM, e 5 mil, conforme os organizadores. Já em Joinville, o encontro foi na Praça da Bandeira. A organização do ato afirmou que havia 300 pessoas às 16h30. A Polícia Militar afirmou que eram 200 participantes nesse horário.


São Paulo

Na capital, manifestantes se reuniram na Avenida Paulista. A Polícia Militar (PM) não divulgou o número de público, mas informou que os atos seguiam pacíficos. Os organizadores do evento também não divulgaram números de manifestantes.

Fechada pela prefeitura de São Paulo aos domingos para o lazer, a Paulista voltou a ser palco para grupos que, no ano passado, pediram o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Também neste domingo, a maioria dos manifestantes usava camisetas e bandeiras do Brasil.

Os participantes representavam diversas correntes, desde quem pede o fim do desarmamento até a intervenção militar. As pautas comuns entre eles foram o apoio à Lava Jato, o fim do foro privilegiado e o repúdio à proposta de lista fechada nas eleições.

No interior do estado, cerca de 200 pessoas em Araçatuba, segundo a organização e a Polícia Militar, reuniram-se para protestar. Em Votuporanga, os moradores também foram para a rua fazer manifestações. A organização e a Polícia Militar estimam que 500 pessoas tenham participado no protesto. Em São José do Rio Preto também houve protesto, com 1.200 pessoas segundo a organização e 500 segundo a PM.

Em Jundiaí, grupo se concentrou na avenida 9 de Julho. Segundo informações dos organizadores, cerca de 1,5 mil pessoas participam do ato. A PM não estimou o número de manifestantes. Em Mogi das Cruzes, manifestantes se reuníram na região central, e tanto a organização contra a Polícia Militar contabilizaram que 50 participaram do ato.

Em Campinas, de acordo com a organização do movimento e a Guarda Municipal, 5 mil pessoas participaram do ato. Em Indaiatuba, foram 300 pessoas que percorreram as marginais do Parque Ecológico, de acordo com os organizadores. Em Sumaré, houve um "buzinaço" de motoristas que passavam por manifestantes com cartazes.

Na região do Vale do Paraíba, cerca de 100 manifestantes, segundo a PM e a organização, participaram de um ato em Atibaia. O ato, que foi pacífico, durou cerca de uma hora.

Em Piracicaba, os manifestantes se reuniram na Praça José Bonifácio, no Centro. Segundo os organizadores do evento e a Polícia Militar (PM), por volta das 10h30 havia aproximadamente 2 mil pessoas no protesto. Já a Guarda Municipal estimou 600 participantes. A expectativa era que 4 mil pessoas comparecessem.

Em Ribeirão Preto, houve caminhada pelas ruas do Centro. Segundo o organizador do evento, 6 mil pessoas aderiram ao protesto. A Polícia Militar informou que foram 1 mil manifestantes. Em Franca, a manifestação reuniu 500 pessoas na Praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro da cidade, de acordo com o grupo organizador do protesto. Segundo a Polícia Militar, 300 participaram do ato.

Em São Carlos, cerca de 150 pessoas se concentraram na Praça do Mercado Municipal, no Centro, e seguiram até a Câmara Municipal. A Polícia Militar não acompanhou a manifestação. Os agentes de trânsito da prefeitura confirmaram o número dos organizadores. Manifestantes a favor da operação Lava Jato se reuniram também em Rio Claro. Segundo a Polícia Militar, foram 300 participantes. Já os organizadores estimam em 400 pessoas.


Sergipe

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Grupo Direita Sergipana se reuniram no Mirante do Calçadão do Bairro 13 de Julho, na Zona Sul de Aracaju. Os organizadores estimam cerca de 300 pessoas. A Polícia Militar não vai divulgar o número de participantes.

Segundo Lourenço Henrique, representante do MBL em Sergipe, a manifestação traz 10 pautas: o fim do estatuto do desarmamento, defesa da operação Lava Jato, fim do foro privilegiado, a favor da previdência livre, simplificação das leis trabalhistas, contra o fechamento do Hospital Cirurgia, contra o aumento de impostos, taxa de iluminação e IPTU e a favor da prisão de políticos corruptos.


Rio Grande do Sul

Um grupo fez protesto na Avenida Goethe, na Região Central de Porto Alegre. Além de dar apoio à operação Lava Jato e manifestar oposição ao voto em lista fechada, o público também cantou uma música com tema contrário ao Estatuto do Desarmamento. "Quero uma arma para poder me defender", diz parte da letra. A Brigada Militar não informou uma estimativa de público.


Rondônia

Um grupo de cerca de 20 pessoas se reuniu no Espaço Alternativo em Porto Velho, em um ato pacífico de apoio à Operação Lava Jato. Para a funcionária pública Nadir Sousa, que motivou o filho a estar no protesto, chegar no local e ver a quantidade de pessoas presentes foi desanimador.

Por G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.