Destaque

24 de março de 2017

Carta Aberta aos deputados federais é emitida por instituições de Jacobina

Em defesa dos trabalhadores e contra a PEC287/2016.

Os senhores e as senhoras deputados (as) foram eleitos por nossa gente para defender e preservar as conquistas inscritas na Constituição de 1988 e os direitos democráticos, sociais dos brasileiros.

Nós, trabalhadores e trabalhadoras, acreditamos que a proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/2016) apresentada pelo governo de Michel Temer mudará drasticamente a vida do trabalhador brasileiro. Visto que teremos que contribuir sem ter a garantia que iremos alcançar à tão sonhada aposentadoria.

Considerando a rotatividade de mão de obra, o desemprego em idade avançada, a informalidade e terceirização; são fatores que dificultam a futura aposentadoria dos comerciários, professores, trabalhadores rurais, mineiros, Servidores públicos, pessoas com deficiência e pensionistas. Sendo que grande parcela dos trabalhadores e trabalhadoras terão seus direitos previdenciários restringidos.

Considerando que dados revelado pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (ANFIP), o que fica evidente é que as questões relativas à Previdência Social não estão sendo tratada de forma séria pelo governo. É sabido que existem fatores que exigirão adaptações do sistema previdenciário e que devem ser discutidos pela sociedade, como por exemplo, o aumento da expectativa de vida da população brasileira.

Entretanto, o que se apresenta agora não é um debate através de dados reais e análises aprofundadas na questão. Pelo contrário: o governo resolveu adotar opção mais simples, que é a de penalizar a classe trabalhadora aumentando o tempo para aposentadoria e reduzindo o valor dos benefícios.

Por isso, nós trabalhadores e trabalhadoras esperamos dos nobres deputados e deputadas federais que foram eleitos pelo voto soberano do povo, que votem contra a Proposta de Emenda à Constituição ( PEC 287/2016).

Sendo só para o momento, subscrevemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.