Destaque

17 de março de 2017

Até quando vai a Lava Jato?

Três anos depois, juiz Sérgio Moro não quer mais fazer previsões sobre desfecho do trabalho.

Desde o início da operação que desmontou o esquema de corrupção na Petrobras, uma pergunta tem perseguido o juiz federal Sérgio Moro em entrevistas e eventos: "até quando vai a Lava Jato?"

Em outubro de 2015, ele dizia em tom de brincadeira esperar que a operação estivesse próxima do fim. Na época, Moro alegou estar cansado com o trabalho decorrente da Lava Jato, que então tinha pouco mais de um ano e meio.

Nesta sexta-feira (17), a operação completa três anos e, alguns prognósticos frustrados depois, Moro prefere não fazer mais previsões. Em uma entrevista ao jornal "Valor Econômico", publicada no último dia 10, o magistrado foi perguntado novamente sobre se tinha perspectiva para concluir os trabalhos da operação em Curitiba. "Não, não tenho", respondeu.

Juiz de primeira instância, Moro tem nas mãos processos que envolvem empresários, ex-diretores da Petrobras e políticos que não têm foro especial. Desde o início da Lava Jato, já houve 38 fases da operação conduzidas pela força-tarefa do Paraná, e 89 pessoas foram condenadas por Moro até agora. Elas podem recorrer em instâncias superiores.

A Lava Jato extrapolou as fronteiras da Justiça Federal do Paraná e há desdobramentos no Rio de Janeiro e também no Supremo Tribunal Federal, para onde foram encaminhadas as suspeitas envolvendo políticos com foro privilegiado.


Veja as respostas de Moro sobre a previsão de fim da Lava Jato:

- "Pessoalmente, confesso que eu estou um pouco cansado do trabalho. Gostaria que estivéssemos chegando perto de algum final, mas não depende de mim." (Outubro de 2015, à revista Época Negócios)

- Não consigo dizer com certeza, porque é um caso em andamento e às vezes novas evidências aparecem. Um dia eu disse que poderia terminar no fim do ano, e a maioria das empresas que pagaram propinas já foram ouvidas, acusadas e julgadas. Minha parte deve ser no fim do ano, mas não posso dizer com certeza." (Julho de 2016)

- "É mais um desejo [concluir a Lava Jato até dezembro]. Confesso que estou cansado. É um trabalho desgastante, mas não é uma previsão. Então, evidentemente, ninguém vai fechar os olhos para essas questões. O trabalho continua enquanto existir matéria." (Agosto de 2016)

- "Agora, muito já se caminhou em relação às investigações de crimes havidos na Petrobras. Então, quem sabe, pode ser que num período razoável isso chegue a um fim. Mas é impossível fazer um prognóstico" (Outubro de 2016, à agência Reuters)

- “Não, não tenho [perspectiva de fim da Lava Jato em Curitiba]. Normalmente, o tempo de duração de uma ação penal é de seis meses a um ano, aproximadamente. Até o julgamento. Mas tem investigações em andamento, e a conclusão delas é mais imprevisível.” (Março de 2017, ao jornal Valor Econômico)

Por G1 SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.