Destaque

2 de janeiro de 2017

Paulo Barboza deixa a Cerâmica Canabrava após seis anos na direção

Na tarde desta segunda-feira, 2, o empresário Paulo Barboza postou um texto nas redes sociais, anunciando sua saída da Cerâmica Canabrava, após um pouco mais de seis anos à frente da empresa. No texto ele fala de sua dedicação e do prazer em ter trabalhado com sua equipe, confira:

"Prezados Amigos e Colegas,

Este momento é um misto de tristeza e alegria. Tristeza pela despedida de pessoas que ao longo destes anos, aprendi a gostar e respeitar, mas a alegria de mais uma vez Deus me dispensar a Garça e a Sabedoria de ter o “dever cumprido” ... Cumprir o dever é acima de tudo ser honesto consigo mesmo, é respeitar a si próprio, é agir com plena ciência de seus atos. Todo dever cumprido representa o resgate de uma obrigação, um impulso para frente no sentido da evolução; ter o sentimento do dever cumprido...Por mais difícil que seja, é saber que não devemos carregar no peito nada que nos atormenta e nos consuma, pois esta é a melhor forma de não perdermos anos de vida e de não ganharmos rugas de preocupação.

Porque, hoje, depois de 5 anos e 6 meses, estou deixando a Cerâmica Canabrava, encerra-se mais um ciclo da minha vida conduzido com: dedicação, determinação e comprometimento, pautando-me, principalmente, na valorização do SER HUMANO e no fortalecimento da marca “Cerâmica Canabrava”.

Trabalhei e convivi com pessoas responsáveis e abnegadas, que muito contribuíram para que não enfrentássemos o desprazer dos fracassados.

Para sobreviver e prosperar num mundo de mudanças constantes é preciso reinventarmo-nos com indivíduos ou empresa. É com este espírito de crença nos valores morais e éticos, econômicos e sociais que estarei iniciando nos próximos meses um novo ciclo no meio empresarial.

Como não poderei abraçar a todos, deixo aqui o pensamento para reflexão:

Envelhecemos quando paramos de aprender. Parar de aprender é deixar de ser curioso e não querer entender coisas da arte, música, gestão e negócios.

Abraços,

Paulo Barboza"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.