Destaque

Sebrae

Ages

9 de novembro de 2016

Músicos jacobinenses tocam com Ivete Sangalo em show beneficente

O show aconteceu em prol do Hospital Martagão Gesteira - Salvador

Jovens jacobinenses, ex-alunos do Projeto Arte de Tocar, participaram de um show beneficente da cantora Ivete Sangalo, nos dias 3 e 4 de novembro. O evento aconteceu no Teatro Castro Alves e toda renda foi revertida para o Hospital Martagão Gesteira de Salvador/BA. Israel Oliveira, Durvalino Cruz, Victor Oliveira e Isnanda Sousa  fizeram parte do show tocando pela Orquestra juvenil da Bahia - Neojiba.

Em conversa com o Rota 324, o maestro Jal Nunes demonstrou seu orgulho e felicidade em vez o crescimento de seus ex-alunos "Parabéns ao Neojiba pela ação! Sempre acreditamos na proposta do projeto do Núcleo e estivemos em diversas atividades realizadas por eles em Salvador. Temos a visão futurista de que a música pode gerar fatos sociais na vida de todos os envolvidos neste processo educativo, social e cultural!" destacou.

Maestro Jal comemora ainda que o Arte de Tocar é o projeto do interior com maior número de músicos participando do Neojiba "Os meninos estão muito contentes em participar de um projeto tão grandioso como este, elevando ainda mais os seus níveis de aprendizado" contou.

Israel Oliveira está há 1 ano e meio em Salvador fazendo bacharelado de viola na Ufba e toca na orquestra Castro Alves - OCA, Victor Oliveira é violoncelista, iniciou também no Arte de tocar, teve uma passagem rápida pela Filarmônica 2 de Janeiro e atualmente toca na Orquestra 2 de Julho e já participou de várias turnês pela Europa e USA com o Neojiba. Durvalino Cruz e Isnanda Sousa são trompista e fagotista e também tocam na OCA. 

Igor Fagner - Rota 324
Imagem e vídeo do show: reprodução Facebook da cantora

Confira uma das músicas do show, com a participação do cantor Saulo Fernandes:

Um comentário:

  1. Tínhamos uma banda Ouro e banda Jetsons, que tocava com grandes nomes nacionais.
    O Tadeu Gouveia que toca com Targino Gondim, tocou com Osvaldinho do acordeom e com o grande Dominguinhos.
    O velho Jacobina, teve música tocada por Caetano, Jair Rodrigues, Ângela Maria....
    Na verdade temos e é sempre tivemos grandes músicos.
    Canindé já tocou com muitos grandes nomes...
    O que não temos em Jacobina é uma "cena".
    onde a heterogeneidade faça o músico crescer como ser humano. Faça o culto e plural com todos os estilos e formas.
    Somos provincianos e temos como nessa evidência a sorte de as vezes estar na foto.
    Mas podemos ser e sempre fomos um celeiro de grandes músicos.
    Elói foi um doa maiores violonistas que já vi tocar. Esteve aqui. Valdé foi um dos grandes músicos de seresta que ouvi também.
    Mas faltou alguma coisa no sistema que desse ao músico dignidade.
    Gente como eu fica 20 anos sem tocar, Mister...
    Instrumentistas como Romário, Buiu, finado Castor....
    Realmente poderíamos ser muito mais do que temos sido. Com o melhor de todos. Vamos ver se essa visão estreita e cerceada de Cultura, que temos assistido na Cidade, começa a mudar. E revelar gente capaz no passado, presente e futuro
    Amém.

    ResponderExcluir

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.