Destaque

Sebrae

Ages

4 de novembro de 2016

Amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada. Por Gervásio Lima

Para agir com a cabeça fria, é preciso saber esperar, pois as consequências dos atos, boas ou ruins, chegarão um dia de qualquer jeito

Quanto tempo de sonho perdido, quanto tempo esquecido, é melhor nem lembrar. Eu pensei que entendia de tudo, que sabia de tudo, mas vivia no ar. Mas agora eu sei o que aconteceu, quem sabe menos das coisas sabe muito mais que eu. A música “Agora eu sei”, sucesso na voz de Roberto Carlos, de 1972, é mais que atual e verdadeira. A pesar da idade, 44 anos, desde o seu lançamento para o público, tornou se um símbolo real e reflexivo para aqueles que se auto-intitulam o dono da verdade absoluta, ou sendo um sofômano, que tem mania de querer passar por sábio e que tomam por verdade suas idéias.

O filósofo grego, Sócrates, disse: “Só sei que nada sei”, ao perceber que a sabedoria inicia pelo reconhecimento da própria ignorância. Para ele, o princípio da sabedoria é a atitude em que se assume a tarefa verdadeiramente filosófica de superar o enganoso saber baseado em ideias pré-concebidas. Segundo Sócrates, "sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância", ou seja, o homem sábio é aquele que admite, apesar de todo o seu conhecimento, que ainda é um ignorante, porque o caminho para a sabedoria é interminável.

Oxe, mas o que isso tem a ver com nós, vós e eles? Na verdade só interessa para eu, tu e ele. Danou-se, disse tudo e não disse nada.

“Os sabem tudo” são elementos perigosos que na verdade não sabem nada, mas com seus poderes de persuasão e enganação conseguem fazer com que muitos incautos caiam em suas lábias. Como exemplos bem próximos são os maus políticos, que na ânsia de se chegar ou permanecer no poder, em seus discursos se transformam em médicos, engenheiros, economistas, advogados, filósofos e em outros mais diversos e inimagináveis profissionais. Sabem como construir pontes e viadutos, como combater endemias, como gastar e controlar finanças e até mesmo como se livrar da justiça, no caso dos que mesmo sabendo que são ímprobos, tendo inclusive sido condenados, insistem, ancorados nas brechas da lei, em continuar disputando eleições para se locupletarem do erário e desviar recursos. Como diz o nordestino, “depois de eleito, só quer ser o cão comendo mariola!”.


Nada como um dia após o outro. Para agir com a cabeça fria, é preciso saber esperar, pois as consequências dos atos, boas ou ruins, chegarão um dia de qualquer jeito. Em muitas cidades a população foi à forra e tirou os gestores reprovados, mas de contrapartida elegeram pela primeira vez ou fizeram retornar para o cargo aqueles que haviam perdido na prova final, mesmo tendo passado pela recuperação. Uma pena existir ainda os que trocam o voto por um pacote de fumo Maratá.

Mas, como disse o filósofo chinês, Lao-Tsé, “a política dos governantes sábios consiste em esvaziar a mente dos homens e encher-lhes o estômago. Um povo que sabe demais é difícil de governar. Aqueles que julgam promover o bem estar de uma nação, espalhando nela a instrução, enganam-se e arruínam a nação. Manter o povo na ignorância: eis o caminha da salvação”.

"Se avexe não
Amanhã pode acontecer tudo
Inclusive nada
Se avexe não
A lagarta rasteja até o dia
Em que cria asas
Se avexe não
Que a burrinha da felicidade
Nunca se atrasa
Se avexe não
Amanhã ela pára na porta
Da sua casa"
A natureza das coisas – Flávio José

Por Gervásio Lima
Jornalista e historiador

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.