Umburanas

14 de julho de 2016

Não aceita que dói menos; por Gervásio Lima

A coluna de hoje fala sobre o comportamento de alguns políticos

Demorei? Que nada, foi tão rápido quanto o voo de uma borboleta preta. Que bom, fiquei preocupado em ter me atrasado como o jumento de Mazzaropi em dia de céu alaranjado. Você é mais pontual do que o relógio de bolso do meu bisavô, não dá trabalho como a juriti quando está com espinho no pé dá. Pois é, tento ser o mais correto possível em minhas coisas; atrasar nos compromissos é papel de tamanduá sem bandeira. Que dia lindo hein! Tão lindo quanto uma tanajura depois da chuva de verão. Hoje promete, sonhei que conseguiria vender até capa de foice pra Seu Baltasar da tenda lá da Rua do Coice de Canguru. Espero que nenhum pardal faça besteira em cima de nossas cabeças. Se preocupa não, o dia promete, não vamos encontrar raposas paridas em nosso caminho. Deixa dessa cantiga de grilo e vamos trabalhar, pois como já diziam os donos de escravos, quem trabalha Deus ajuda.

Meu pé de laranja lima, carregado de pimenta, se não gosta de mim, por que mordeu meu jegue?

Entendeu? Eu também não. É mais ou menos nesta linha de raciocínio, de palavras ao vento, sem valor e que nunca se concretiza que boa parte dos que se colocam à disposição para ajudar e os que querem ser ajudados focam seus projetos pessoais em detrimento do todo, com o sol, a lua, a terra e o mar sendo apenas fontes de inspirações poéticas. Não sabendo que, para que o mundo das pessoas, as comunidades onde estas estão inseridas, sejam verdadeiramente ambientes salubres, com o mínimo de condições de sobrevivência, se faz necessário observar e se 'autopoliciar' em relação a determinados comportamentos e atitudes, principalmente àquelas não tão valorizadas, mas importantes, como a de discutir, participar de eventos que dizem respeito ao coletivo e escolhendo bem seus representantes.

Para isso é preciso corrigir os danos já provocados pelas más escolhas do passado e contribuir com ações positivas e mais conscientes para um futuro mais digno, valorizando seus direitos em toda a sua plenitude. Só construirá um mundo melhor se construir pessoas melhores, estruturas sociais mais justas e comprometimento com os valores humanos acima dos valores econômicos.

Vale sempre lembrar que só existem corruptos por que existem corruptores; algo tão grave quanto ao tráfico de drogas. Quem mantém o traficante é o usuário, assim como, quem mantém o mau político é o mau eleitor  que geralmente compactua e comunga com as mesmas práticas do seu escolhido.

Aos maus caracteres de plantão responda: “Sua mensagem foi recebida, visualizada e ignorada com sucesso”. Não aceite suas falsas promessas ‘que dói menos’.

Por Gervásio Lima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.

Destaque