Destaque

Umburanas

18 de julho de 2016

Liminar suspende rejeição de contas e Adilson confirma pré-candidatura em Mirangaba

"Nunca vi a decisão da Câmara Municipal como um impedimento"

O ex-prefeito de Mirangaba, Adilson Nascimento, obteve, nesta segunda-feira (18), uma liminar da Justiça para suspender os efeitos da rejeição das contas de 2012, anulando a decisão da Câmara de Vereadores.

Ao Notícia Livre, Adilson Nascimento garante que nunca viu a decisão da Câmara Municipal como um impedimento e confirmou que concorrerá à prefeitura de Mirangaba novamente no próximo pleito. “A própria rejeição não impedia a elegibilidade, porque não houve desvio de recursos, foi uma decisão política”, afirma.

Na sua página na rede social, Adilson Nascimento escreveu: “Mesmo diante de tanta gente maldosa e mal intencionada contra as quais temos lutado diariamente, pessoas que nunca mediram esforços para nos prejudicar - seja no controle das instituições como Câmara municipal ou como simples fofoqueiros propagadores de mentiras ao nosso respeito - sempre tiveram engajados numa única coisa que foi tentar denegrir a nossa imagem e tentar impedir que o povo tenha o direito de escolher quem quiser para governar seu município. Nesse momento, eu tenho a dizer a vocês que são realmente as pessoas com quem me preocupo, que eles não conseguiram. A nossa luta, as orações de cada um de vocês, a energia positiva lançada por cada dos amigos, tudo isso serviu para que Deus fizesse justiça e não deixasse que o plano de pessoas más fosse colocado em prática. Estou aqui para agradecer a cada um é dizer que, depois de muita luta e muita perseverança, nós conseguimos a liminar que me permite ser candidato e colocar meu nome à disposição de toda a população do município de Mirangaba. Mais uma vez, agradeço de coração a todos vocês e repito mais uma vez, contra o poder de Deus e a boa fé dos filhos dele, não há mal que prospere. Muito obrigado meus amigos”, declarou. Informações do Notícia Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.