Umburanas

8 de julho de 2016

Homem morre de infarto e esposa acusa Hospital Municipal de negligência

"Disseram que ele estava com cólica renal" disse Elza Santos

O Rota 324 esteve na tarde desta quinta-feira, 7, no Distrito de Novo Paraíso, para entrevistar a senhora Elza Santos sobre uma denúncia de negligência cometida por profissionais que atuam no Hospital Municipal Antonio Teixeira Sobrinho, em Jacobina.

Sérgio dos Santos, 35 anos, faleceu na tarde de terça-feira, vítima de um infarto fulminante e, segundo sua esposa Elza Santos, eles deram entrada por volta de meia noite de segunda no hospital, onde ele reclamava de fortes dores no peito. "Eles atenderam meu marido com remédios para cólicas renais e deixaram numa cadeira tomando soro até o meio dia da terça" contou ao Rota no vídeo que poderá ser visto logo abaixo.

Ainda de acordo com Elza, após serem abordados, os médicos com desdém diziam que não eram Deus e que era apenas cólicas renais. Sérgio foi enviado para a Clínica da Mulher para um serviço de ultrassonografia, onde teve complicações e morreu enquanto o médico aplicava o gel.

Após postarmos o vídeo nas redes sociais, diversos comentários surgiram em manifesto e solidariedade à família. Alguns leitores, ao compartilharem as imagens cobravam por mais competência por parte dos poderes públicos. "Depoimento de alguém que teve coragem de falar. Fora aqueles que nunca saberemos. Não foi o primeiro caso de morte por falta de atendimento/atenção e não será o último, naquele lugar. Que Jesus conforte o coração da família" disse uma leitora. Ao reproduzir o áudio de nossa entrevista no programa Blitz Total da Jacobina FM, o apresentador Geyder Gomes destacou a importância de se ter uma atenção maior para com os pacientes. Ouvintes participaram e cobraram a presença do Jacobina Agoniza, grupo qual promoveu um manifesto pedindo saúde de qualidade ainda na gestão anterior "Porque nesta gestão todos os integrantes desapareceram? questionaram.

Confira a denúncia no vídeo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.

Destaque