Destaque

Umburanas

18 de julho de 2016

Crônica: De cabeça baixa já basta a câmera de monitoramento

Problemas são feitos para resolver, com exceção dos que não há interesse na resolutividade

Nossa velha companheira câmera de monitoramento anda cabisbaixa. Deixada de lado, ela já não testemunha mais o que se passa no Centro Comercial e Financeiro de Jacobina. Instalada para trazer mais segurança aos transeuntes, ela hoje já não consegue ajudar em nada.

Talvez ela tenha visto a marca do sapato ou sandália do ladrão de motos, talvez ela não tenha visto, sequer, a poeira deixada por ele. De cabeça baixa, ela lamenta não ter visto o rumo do ladrão de celular e do assassino que por ali passou. De testa para o chão, ela lamenta a desorganização e a falta de interesse em resolver o seu problema. Sem forças para ajudar, já não consegue enxergar a vida como era antes, sem energia já não vê perspectiva de melhoras.

Mas, de cabeça baixa já basta a câmera de monitoramento.

No sentido contrário e de cabeça erguida, seguimos nós, após um processo iniciado pelo nosso gestor, após expressarmos nossas ideias, após criticarmos sua forma desorganizada de administrar Jacobina. Buscando desestabilizar nosso site, nosso prefeito tenta barrar nossa forma de agir, perseguindo e buscando meios de tirar nosso foco, que é o de denunciar o desmando e o desamor pelo município.

Na eleição de 2012, fui processado pela equipe de Amauri Teixeira, devido a uma charge que produzi. Ganhei a causa, pois segundo o Juiz, não havia nada demais ali e se ele fizesse isso, iria de encontro a Liberdade de Expressão. Esse processo foi tema de uma discussão em debate de rádio, onde Rui Macedo aproveitou da situação para criticar o candidato por tal ação. De acordo com Amauri, o processo foi iniciado sem seu conhecimento e que já havia pedido anulação.

O ano agora é 2016, e também de eleição - a acusação desta vez parte do pré-candidato Rui Macedo (isso mesmo! aquele que achou horrível a ação de seu opositor!) e que, por não ter forças para argumentar minhas constantes críticas ao seu DES-Governo, usa o argumento da força e coloca seus 9 advogados para trabalhar em função de tentar barrar meu trabalho.

Só preciso de duas coisas neste momento: um excelente advogado e um notebook funcionando, para que eu continue fazendo o que já faço, pois continuarei sonhando com uma administração que ame de verdade nossa terra! E esse já provou por A + B que não tá nem aí para a gente. Uma boa semana a todos - a minha já começou boa!

Igor Fagner - Rota 324

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Rota 324 não se responsabiliza pelos comentários aqui expostos.