Destaque

20 de outubro de 2017

Uneb informa: XII Semana de Geografia



E agora José? Por Gervásio Lima

Gervásio Lima é jornalista e historiador

E agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José? E agora, você? Poema de Carlos Drummond de Andrade, ‘E agora José’ foi’musicado por Paulo Diniz e até os dias atuais é uma das canções mais lembradas pelos brasileiros. Além da melodia cativante a interpretação imortalizada na voz “pigarreada” de um nordestino arretado, a música que faz sucesso desde 1974 mexe com a imaginação e a criatividade quando analisada por críticos profissionais e amadores.

Em uma das muitas análises, talvez a melhor já realizada até hoje, uma equipe de alunos da disciplina de Literatura Brasileira, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caratinga (FAFIC), em Minas Gerais, “o poema de Carlos Drummond de Andrade aplica-se aos milhares de Josés que transitam pela vida sem serem notados, ouvidos ou vistos. Aos Josés condenados pela sociedade à solidão e ao anonimato, que não tiveram nenhuma oportunidade de se realizar como homem. Que gritam, protestam, amam, mas têm seu grito sufocado pela indiferença, seu protesto ignorado e seu amor não correspondido, mas que continuam se arrastando pela vida sem saber onde vão chegar”.

O nebuloso e preocupante momento Econômico e principalmente político que passa o Brasil tem atingido de cheio e colocado em xeque muito do que antes era visto como sério e inatingível do ponto de vista moral e ilibado. Instituições e seus representantes se apresentam tais como caranguejos, atolados na lama em busca da sobrevivência. Enquanto isso, na sala de justiça (o dia-a-dia), super homens e mulheres maravilhas são vítimas de um sistema corrompido e impiedoso que utiliza de prerrogativas concedidas geralmente através do voto para prejudicar suas criaturas.

Os super heróis brasileiros estão matando um leão por dia para sobreviver. Atônitos, começam a perceber que foram enganados por uma trupe criminosa que, além de surripiar o erário público, tem roubado sonhos e destruindo literalmente vidas. Como o ‘José’ de Drummond, a população passa a ter uma visão pessimista do cotidiano, sentir-se solitária, sem espaço e uma profunda angústia pela vida. A alegria e a felicidade já existiram, mas agora, "a festa acabou". Em seu lugar ficou a escuridão, o frio, o abandono. José está só.

“... Você mentiu me enganou
Dizendo que o seu amor
Não era de mais ninguém
Juro que acreditei
Com tudo me apaixonei
Pelo seu jeito também
Na vida nada é perdido
Pra tudo tem um sentido
A gente tem que aprender ...”
Foi bom te amar – Jorge de Altinho

Por Gervásio Lima
Jornalista e historiador

19 de outubro de 2017

Diretoria do Codeter convida a todos para Assembleia Geral Ordinária


Policia Civil prende jovens acusados de assaltos a estabelecimentos comerciais em Jacobina

Cerca de dez acusações de assaltos foram registradas

Policiais Civis do Núcleo de Combate ao Crime contra o Patrimônio da 16ª Coopin prenderam nessa terça-feira 17/10, Marcos Alexandro Santos Oliveira, 18 anos, e Luiz Eduardo Nascimento Souza 18, ambos naturais de Jacobina e residentes no Bairro da Ladeira Vermelha, os mesmos tinham em seu desfavor, mandados de prisão expedido pela justiça local. Marcos e Luiz são acusados de mais de dez assaltos a estabelecimentos comerciais em Jacobina, entre eles, mercadinhos, distribuidoras, farmácias e supermercados. As investigações que perduraram quase 3 meses aconteceram diuturnamente.

Segundo a polícia, as investigações seguiram uma linha de raciocínio e foi montado um verdadeiro quebra-cabeças, sendo que os autores são jovens e não tinham passagem por este tipo de delito. Após a captação de imagens de alguns estabelecimentos comerciais, foi analisado o sentido da fuga após os crimes, e todos levavam ao Bairro da Vila Feliz. Após varredura naquele bairro se descobriu que os autores passavam pelo mesmo para despistar a polícia e se dirigiam ao Bairro da Ladeira Vermelha. Outra situação que chamou a atenção dos investigadores, foi que a moto utilizada nos delitos, uma Suzuki, marca não convencional na nossa região, aparecia com a dupla em vários locais de crime e com várias cores diferentes. Após identificação da autoria e solicitação dos mandados de prisão, descobriu que Luiz trabalhava com plotagem de veículos e toda vez que saía com seu parceiro para a prática dos delitos plotava a moto (que tem a Cor original Azul), com cores diferentes para despistar as investigações.

De acordo com a Delegada Manuela Rodrigues que preside o inquérito, Marcos e Luiz são apontados como possíveis autores de mais de dez assaltos a estabelecimentos comerciais em Jacobina durante três meses, onde espalharam pânico a pequenos comerciantes. Ainda Segundo a Delegada, o que foi apurado até agora é que os jovens se uniram para a prática dos delitos e tudo que era subtraído pela dupla era usado em festas, bebidas e diversão. Outros jovens suspeitos de fazer parte de uma associação criminosa estão sendo investigados no devido inquérito policial. 

Com a dupla foram aprendidos a motocicleta utilizada nos delitos e 01 revólver calibre 32. Segundo a dupla, eles só praticaram seis assaltos e a outra arma que era utilizada nos crimes era um Simulacro (Pistola de Brinquedo), mas ainda não foi encontrada pela polícia. Marcos e Luiz permanecem presos no Complexo Policial de Jacobina à disposição da Justiça.

Fonte: 16ª Coorpin

17 de outubro de 2017

Polícia Civil divulga o balanço da Micareta de Jacobina 2017

População teve atendimento especial da Policia Civil durante os três dias de micareta

Em uma parceria da 16ª Coorpin, Delegacia Territorial de Jacobina e a Coordenação de Segurança da Micareta 2017, foi montada uma Delegacia com estrutural especial só para atendimento ao público durante os três dias de micareta (13, 14 e 15 de outubro). A Delegacia Itinerante que funcionou no prédio do Cras, no centro da Cidade e no Coração da Folia, manteve uma estrutura física e administrativa para um melhor atendimento ao público e contou com a presença de investigadores, escrivães, e delegados durantes os dias de festa, um Link foi instalado interligando todo o sistema de queixas da Polícia Civil da Bahia. O local também foi o centro de apresentação de ocorrências utilizados pelas instituições de segurança que trabalharam em todo o circuito da folia. O DPT (Departamento de Polícia Técnica) também contou com uma base avançada de pericias, com isso dando maior agilidade nos laudos necessários aos procedimentos policiais.

Durantes os três dias de evento, onde teve um trânsito de público estimado em 45 mil pessoas, foi considerado tranquilo para a magnitude do evento, sendo registrado na Delegacia Itinerante 53 (Cinquenta e Três) ocorrências de Furto simples, 01 (Um) furto qualificado, 01 (uma) ocorrência de posse de entorpecentes, 03 (três) ocorrências de vias de fato, 01 (uma) apreensão de arma branca, 26 (vinte e seis) pessoas foram apresentadas aos delegados plantonistas pelas forças de segurança que trabalhavam no circuito, entre elas a Policia Civil, que utilizou 70% do seu efetivo com policiais infiltrados, Policia Militar e Guarda Municipal onde foram lavrados 02 (dois) autos de prisão em flagrantes e 05 (Cinco) autos de termos Circunstanciados.

Segundo os delegados Eduardo Brito e Manuela Rodrigues que coordenaram os trabalhos, as ocorrências relacionadas ao circuito do evento foram consideradas dentro de uma normalidade pelo tamanho do evento com mais de 80 atrações em 03 três dias de festa onde a cidade recebeu um grande fluxo de visitantes. Segundo o Delegado Eduardo Brito, além da Delegacia Itinerante montada para atendimento do evento, o plantão no Complexo Policial de Jacobina foi mantido 24 horas para atendimento de ocorrências externas e vindas ao Plantão Central de outros municípios. Desta forma, duas delegacias com toda estrutura e servidores, funcionaram 24 horas para melhor atendimento ao público. O delegado ressalta, também, que o baixo índice nas ocorrências é resultado de uma parceria das instituições de segurança com foco no bem estar da população e visitantes. 

Por sua vez, a Delegada Manuela Rodrigues ressalta que o mais importante é que nenhuma ocorrência de grande vulto foi registrada neste período festivo na cidade de Jacobina e que todo o trabalho das equipes infiltradas na micareta e todo o material coletado servirá para investigações futuras da Polícia Civil em um trabalho continuado.

Fonte: 16ª Coorpin

Moradores da São Salvador solicitam presença da Embasa

De acordo com informações, buraco está aberto há mais de uma semana

Moradores da Rua São Salvador entraram em contato com a redação do Rota 324 para pedir intermédio no que se refere a resolução de um problema na via. De acordo com os residentes, há mais de uma semana que prepostos da Embasa consertaram uma tubulação no local e, desde então não retornaram para fechar o buraco, causando transtornos em que mora ou passa pela rua.

Fica aí o registra para que providências sejam tomadas.

Igor Fagner - Rota 324

Palestras beneficentes serão promovidas na Acija, participe doando alimentos


16 de outubro de 2017

Confira alguns flashes da Micareta de Jacobina

Todas essas fotos da micareta de Jacobina estão disponíveis no Facebook da Prefeitura de Jacobina

Jacobinenses e turistas puderam, enfim, "matar" a saudade da micareta de Jacobina nesse fim de semana. As cores, o ritmo e a alegria da primeira micareta do Brasil foram vividos por quem esteve na avenida nesses três dias de festa.

Os artistas da terra soltaram seus gritos e mostraram seus brilhos, as atrações de fora arrastaram multidões e as manifestações culturais foram uma maravilha à parte. As redes sociais mostram que o jacobinense curtiu cada minuto e as imagens abaixo trazem um pouco disso tudo.

Parabéns para a Prefeitura de Jacobina e toda a comissão da micareta. Ficamos aqui na torcida para que não fiquemos mais, um ano sequer, sem essa energia, sem nossa maior festa cultural, sem todas essas cores. O que foi testemunhado nesses dias é que o jacobinense não merece, entre outras ações, ficar sem essa grandiosa festa!

Igor Fagner - Rota 324

Confira algumas imagens feitas por Mário Luna e Morgana Gonçalves, da Assessoria de Comunicação da PMJ

Micareta de Jacobina chega ao fim com o clima de tranquilidade e harmonia

O resultado foi positivo e segundo o Major Flailton Oliveira, a paz reinou na festa momesca

“Tivemos uma micareta tranquila, sem ocorrências graves, graças ao trabalho e a estrutura de segurança que tínhamos na festa. Além dessa estrutura tivemos os foliões que, ao brincar de forma ordeira e pacífica, contribuíram para essa festa de alegria e paz”. Essa foi a avaliação do Major Flailton Oliveira Comandante da 24ª CIPM/Jacobina, que comandou as ações da PM durante os três dias de festa.

Como planejado pelo Comando da 24ª CIPM em consonância com o Alto Comando da Corporação, as ações de segurança resultaram em uma Micareta de Paz e sem ocorrências graves. O destaque da Operação Micareta neste último dia foi a Operação Jacobina Pelotões em Ação que entre 4h e 6h posicionou viaturas nas vias de acesso aos bairros da cidade, garantindo o retorno dos foliões com segurança.

No final da tarde deste domingo o Major Flailton Oliveira observou todo o entorno da Micareta junto ao Esquadrão de Polícia Montada – Cavalaria de Feira de Santana, que durante os três dias de festa fez a segurança nos terminais de transporte, margens do rio e no entorno do circuito.

Para o Major a união das tropas fizeram a diferença. “Agradeço ao empenho da tropa da 24ª CIPM, bem como o apoio da CIPE Caatinga, Esquadrão de Polícia Montada de Feira de Santana, 6º BPM de Senhor do Bonfim, ao Centro de Informações e Decisões Estratégicas – que monitorou a festa com câmeras espalhadas pelo circuito, Bombeiros, Polícia Civil, DPT e aos prepostos da SMTT e Guarda Municipal. Por conta dessa união de instituições e com planejamento garantimos a segurança na cidade durante esses três dias de festa”, disse.

BALANÇO DA OPERAÇÃO MICARETA DE JACOBINA 2017

Nesta terça-feira (17), será apresentado o balanço da Operação Micareta de Jacobina 2017. Horário e local da apresentação com avaliação do Comando serão divulgados posteriormente. 

Por Andressa Ádila
Comunicóloga, com habilitação em Jornalismo – DRT/ BA 5347