Umburanas

9 de julho de 2018

Grupo Vilavox realiza circulação de espetáculos e oficina em Jacobina

Eventos acontecem no fim de semana

Ponto Circuito é o nome da circulação cultural que o Grupo Vilavox, um dos mais consolidados do teatro baiano, realiza nas cidades de Serrinha, Ribeira do Pombal, Senhor do Bonfim, Jacobina e Irecê, de 6 a 19 de julho. Na bagagem, a trupe levará o espetáculo infantojuvenil Passaredo Passarinholas, a nova montagem em construção Medeia Negra e promoverá também oficinas de contação de histórias, em uma programação gratuita. A iniciativa conta com o patrocínio do edital de Manutenção de Grupos Artísticos, da Fundação Cultural do estado da Bahia e Fundo de Cultura da Bahia, por meio da Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, bem como o apoio institucional das prefeituras municipais de Serrinha, Ribeira do Pombal, Senhor do Bonfim, Jacobina e Irecê.

O público das cinco cidades vai poder conferir a peça indicada ao Prêmio Braskem de Teatro, na categoria Melhor Espetáculo Infantojuvenil, Passaredo Passarinholas, montagem que mergulha no universo lúdico dos pássaros e a tradição oral da cultura brasileira. A obra é inspirada em contos de diferentes ancestralidades, narrativas populares de griôs e de diferentes tradições orais, como a indígena e a afro-brasileira. Na peça, os atores utilizam elementos do universo infantil e brincadeiras populares, para dar teatralidade aos três contos encenados. Passaredo Passarinholas tem direção de Diana Ramos e direção musical de Jarbas Bittencourt.

Pessoas interessadas em absorverem as técnicas de contação de histórias poderão participar da Oficina, na qual o Grupo Vilavox compartilha o conhecimento sobre método, estratégias e caminhos para compartilhar narrativas ancestrais. As oficinas serão realizadas nas cinco cidades participantes do Ponto Circuito e serão gratuitas.

Medeia Negra em Processo – Primeiro solo teatral do repertório do Grupo Vilavox, Medeia Negra apresenta a pesquisa da atriz Márcia Limma, com direção de Tânia Farias (Ói Nois Aqui Traveiz) e dramaturgia de Marcio Marciano (Grupo Alfenim), com colaboração de Daniel Arcades (NATA). Durante o Ponto Circuito, será compartilhado o processo criativo do espetáculo, que evoca de modo híbrido o mito grego, em uma perspectiva contemporânea e feminista negra. História, memória e vivências da criadora são apresentadas na cena, trazendo o canto e a música como marcas da trajetória do grupo, em diálogo com o teatro épico.  

O corpo negro e seus encarceramentos é colocado em cena como uma metáfora de libertação, onde a voz é o caminho escolhido. O canto e a performance das ações compõem a musicalidade inspirada nos cantos negros de libertação. A plateia, a partir de sua disposição espacial, é colocada frente a frente com a dicotomia e complexidade do gênero. Medeia compartilha seus momentos e reflexões entre passado, presente e futuro junto ao público. Assim, temos acesso a versão feminina e negra da história.

Será uma oportunidade do público acompanhar o processo de criação de um espetáculo teatral ainda não finalizado e contribuir com reflexões e questionamentos a partir da experiencia cênica apresentada.

Serviço – Ponto Circuito 

Jacobina

Passaredo Passarinholas
15/07 (domingo) - 17.30h - Gratuito
Concha Acústica da Missão

Medeia Negra
16/07 (segunda) - 20h - Gratuito
Teatro da Praça Céu

Oficina de Contação de Histórias
16/07 (segunda) - 8h - Gratuito
Colégio Modelo 

Era uma vez o forrobodó: por Gervásio Lima

Existe espaço para todos os estilos e gostos musicais, mas apelar e insistir em usar e descaracterizar o forró pé de serra é uma forma ingrata de contribuir com o desaparecimento de uma das principais tradições nordestina

O período das festas juninas encerrou oficialmente no dia 30 de junho, após as comemorações do dia do último santo do mês, o São Pedro, o primeiro papa da Igreja Católica, (não confunda com São Pedro de Alcântara, santo padroeiro do Brasil, cuja comemoração acontece no dia 19 de outubro). Mas por ter uma população ‘festeira de nascimento’, muitas cidades do nordeste, mas especificamente na Bahia, as festas se prorrogam por praticamente todo o mês de julho.

Os ‘arraiás’ ainda arrastam pé e arrastam muita gente. O forró de raiz, mesmo que a cada ano esteja sendo ameaçado de extinção, sobrevive nostalgicamente. O ‘dois pra lá, dois pra cá’ da dança vem sendo trocado por coreografias que mais parecem passos de balizas de fanfarras (uma mistura de ginástica artística, rítmica, teatro e arte circense). Já o gênero musical oriundo basicamente do conjunto de instrumentos como o triângulo, a sanfona e a zabumba está cada vez mais desconfigurado, sendo substituído por estilos denominados de ‘urbanos e modernos’. A guitarra, o teclado e a bateria são os responsáveis em produzir os sons do novo ‘forró universitário’ e de uma espécie de pop chamado de ‘forró eletrônico’. Triste realidade.

Existe espaço para todos os estilos e gostos musicais, mas apelar e insistir em usar e descaracterizar o forró pé de serra é uma forma ingrata de contribuir com o desaparecimento de uma das principais tradições nordestina. As novas gerações precisam conhecer a verdadeira história vivida por seus pais, avós e bisavós, de maneira, a saber, preservá-la. Copiar uma identidade não seria tão salutar quanto construir e conquistar seus próprios valores.

Qualquer nordestino, desde os mais novos (graças às comemorações realizadas nas escolas), sabe reconhecer uma típica festa junina. As vestimentas, a culinária e as ornamentações são únicas; totalmente diferente dos shows espetaculares com extravagâncias de som e luz e músicos e bailarinas com roupas coloridas e cheias de brilho.

Em 2017, um evento particular denominado ‘Forro Sertão’, realizado durante os festejos do São João da cidade de Irecê, no norte da Bahia, as principais atrações foram as cantoras Anitta e Ivete Sangalo, os cantores Gustavo Lima e Léo Santana e a dupla Henrique e Juliano. Uma clara demonstração da descaracterização musical do termo ‘forró’. Neste ano (2018), Senhor do Bonfim, cidade localizada também no norte da Bahia, conhecida como a ‘Capital Baiana do Forró’, antes referência na preservação do tradicional festejo junino se rendeu ao modismo e teve entre as atrações contratadas pelo executivo municipal os cantores Tayrone, Gabriel Diniz, Wallas Arrais e a sul-mato-grossense Paula Mattos. Como já dizia o maior forrozeiro do Brasil, Luiz Gonzaga, ‘aqui tudo mudou, tudo tá mudado’.

O pior das mudanças nas festas juninas será a ausência da canjica, do bolo de aipim, do amendoim, do milho cozido, do licor de jenipapo e do quentão. Ô dó!

Por Gervásio Lima
Jornalista e historiador

Acija informa: Oficina Pratique Gestão de Pessoas


28 de junho de 2018

Prefeitura de Umburanas realiza tradicional festa de Delfino e entrega pacote de Obras no distrito


O Distrito de Delfino vivenciou durante os dias 15 e 16/06/2018, em clima de muita alegria, a passagem do seu tradicional Festejo, que contou com a participação de um grande publico durante os dois dias. A festa realizada pela prefeitura municipal, que dispôs de toda segurança e estrutura para o povo cair na folia e aproveitar bem o evento.

Na oportunidade foi entregue diversas obras no distrito; Reforma e implantação do Campo de Futebol, Reforma completa da Praça e Quadra Poliesportiva Salviano Severo dos Santos, Implantação da sede da Guarda Municipal do distrito de Delfino e Reforma da fonte Luminosa da Praça Pedro Souza Cruz.

Prefeitura Municipal de Umburanas – Governo da Reconstrução!

18 de junho de 2018

Veja quem esteve no Forró dos Namorados do XV de Novembro

Evento aconteceu na sede de campo do XV

O tradicional Forró dos Namorados do XV de Novembro teve mais uma edição realizada na noite desse sábado, 16, em Jacobina! Ao som de Ricardo Mercês e Marcleide, KAPL e os Menudos do Forró e Augusto e Lailza, todos os presentes dançaram muito forró até o dia amanhecer.

Sempre muito bem organizado, o Forró dos Namorados chama a atenção pela sua caracterização, pois com toda sua arrumação deixa com que os foliões entrem no clima de São João desde à sua chegada na sede de campo da associação esportiva.

Até o ano que vem com mais uma edição do Forró dos Namorados!


14 de junho de 2018

Polícia Militar realiza Campanha do Agasalho em Jacobina


A 24ª CIPM deu início à Campanha do Agasalho no dia 08 de junho do corrente ano, visando arrecadar, através de doações, agasalhos e cobertores para a distribuição à pessoas mais necessitadas da cidade de Jacobina.

O ponto de arrecadação está sendo na sede da 24ª CIPM localizada na Avenida Lomanto Junior, s/n, Bairro Estação.

A distribuição do material arrecadado será definida, em data futura, pelo Comandante da 24ª CIPM em comum acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social da cidade de Jacobina.

"Reconheço a importância deste projeto solidário, e conto com o apoio de toda sociedade de Jacobina e região." disse o Major PM Flailton Oliveira, Comandante da 24ª CIPM.

"PM E COMUNIDADE NA CORRENTE DO BEM"

Por Vitor Costa - Subtenente PM
Chefe do Setor de Comunicação Social/Porta Voz do Comando

2º Arraiá do Comércio de Jacobina começou na terça-feira


IFBA realiza lançamento oficial do Processo Seletivo 2019 na próxima semana

O IFBA é uma instituição que se equipara às universidades federais

No dia 19 de junho, terça-feira, toda a sociedade de Jacobina e região está convidada a prestigiar o lançamento oficial do Processo Seletivo 2019 do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia.

No Campus Jacobina, o evento acontece em dois momentos: no turno matutino, a partir das 9h, haverá ações focadas no público interno; já a partir das 14h, será transmitida, ao vivo, webconferência com a participação do reitor do IFBA, Renato da Anunciação Filho, além de integrantes da comissão organizadora da seleção, seguida da apresentação dos cursos ofertados no campus, bem como dos programas de assistência estudantil, projetos de pesquisa e extensão.

“Convidamos todos os diretores e professores das escolas que oferecem o ensino fundamental II, representantes da imprensa, autoridades da área de educação, e até pais de alunos que irão cursar o ensino médio no próximo ano, para participar do evento”, comenta o professor Ricardo Mesquita, coordenador local do Prosel 2019.

Saiba mais

O IFBA é uma instituição que se equipara às universidades federais, atuando com a verticalização do ensino, da educação básica e profissional à superior, além de pesquisa e extensão, com qualidade socialmente referenciada.

Resultado  das mudanças promovidas no antigo Centro Federal de  Educação  Tecnológica  da  Bahia  (Cefet-BA), o Instituto está há mais de cem anos no estado, contribuindo com a formação profissionalizante e histórico-crítica dos educandos.

O Campus Jacobina é fruto da segunda fase da expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC). Inaugurado, simbolicamente, em Brasília, no ano de 2010, começou seu funcionamento em 2011.

Atualmente, oferece os cursos técnicos integrados e subsequentes ao ensino médio de informática, eletromecânica e mineração, além da formação de meio ambiente (subsequente). Ainda dispõe de curso de nível superior, a licenciatura de computação, com ingresso pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Destaque